Os 3 truques DIY para um quarto mais funcional

Adoro o meu quarto! É um pouco suspeito eu dizer isto, mas acredito que é o melhor sítio da minha casa! Para além de ser o meu refúgio, é muito caloroso, totalmente funcional e, acima de tudo, espelha bem a minha personalidade. “E como consegui fazer dele um espaço assim?”, perguntam vocês… Fácil! Adaptei várias coisas ao meu gosto, com criatividade e imaginação! Curiosas? Então vou ensinar-vos 3 truques fantásticos para tornarem o vosso quarto tão especial quanto o meu:

 

Caixas e mais caixas

Quem é que não gosta de arrumar as coisinhas em caixas giras e personalizadas ao seu gosto? Quer sejam de plástico, de madeira ou de cartão, as caixas dão sempre muito jeito para as arrumações. Por isso, que tal pegarem naquelas caixas onde vêm os mil e um sapatos que compram e personalizarem-nas com grande imaginação? Podem pintá-las com aguarelas, fazer desenhos com marcadores, apostar em autocolantes, purpurinas, etc. Abram alas à vossa criatividade e surpreendam-se a vocês próprias!

 

Poupar espaço com a roupa

Poupar espaço é o que mais queremos, principalmente quando o nosso armário é pequeno demais para o monte gigante de roupa que temos. Mas existem opções geniais para conseguir guardar a roupa da melhor forma, sem que esta fique desorganizada e amarrotada. Por exemplo, enganchem os cabides uns nos outros, ou com a ajuda de uma corrente, prendendo o gancho do cabide ao aro da corrente, ou com a ajuda de uma anilha (de refrigerante). Outra ideia fantástica é usarem os chamados “anéis de cortina” num único cabide para pendurarem os lenços e os cachecóis. Simples, não é?

 

Varão, o nosso melhor amigo

Os varões são extremamente úteis para poupar espaço e para facilitar a nossa vida! Colocar mais varões no roupeiro é excelente para conseguirmos pendurar mais roupa, poupando o espaço inferior para a arrumação de outras coisas. Para além disso, já imaginaram colar varões nas portas dos armários – ou mesmo na porta do quarto – e nas paredes, para que possam pendurar casacos, lenços, gorros ou chapéus? Experimentem, pois vão adorar a sua utilidade!

Já vos convenci, digam lá! Vá, vão já tratar destas alterações e tornem o vosso quarto mais organizado e funcional! Ah, mas fica o aviso: depois de o personalizarem ao vosso gosto, não se queixem de quererem passar lá a vida!

Como criar um espaço acolhedor para o seu cão

Reparei que ainda não vos tinha falado das minhas escolhas para criar espaços acolhedores para o Paco, o meu querido companheiro e destruidor de invenções! Como podem ver, eu faço parte daquele grupo de pessoas que acredita que os nossos animais são um dos elementos da nossa família, por isso dediquei bastante tempo a diversas leituras para receber o meu Paco da melhor forma.

 

Os cães são animais muito sociáveis e que adoram poder estar perto de nós no entanto, como todos nós apreciam os seus momentos sossegados e calmos. É importante criar um espaço no qual se sintam à vontade e possam ficar nele quando querem isolar-se. Essencialmente, um lugar onde se sintam seguros.

 

Em primeiro lugar e por muito que eu goste da companhia do meu Paco no sofá, a verdade é que nem sempre ele pode la estar (é preciso espaço para as visitas não é?) e ele tinha que ter a sua própria cama. Este e um ponto muito importante! Escolham uma boa cama, apropriado ao seu tamanho e fofinha o suficiente para ser mais apelativa que o sofá e mais agradável que o chão. Podem colocar esta cama num local onde o cão possa estar sossegado, ao fundo de uma divisão, debaixo de uma secretária ou mesa para dar uma ideia de caverna (os cães gostam de dormir em buracos). Tem que ser uma divisão onde o cão tenha SEMPRE acesso.

 

Além disso é necessário criar uma zona de alimentação e ter à disposição distribuidores de água. Se quiserem incentivar o vosso cão a beber mais água comprem uma fonte, é óptimo! É importante que os cães possam comer à vontade e sem serem chateados, não coloquem as tigelas em zonas com muito movimento. Mais uma vez o ideal é ao fundo duma divisão.

 

Por fim, eu tenho um cesto onde coloco parte dos brinquedos do Paco. Assim se ele quiser algum pode ir lá buscar em vez de se deliciar a trincar a minha mobília! Os brinquedos especiais estão guardados, só pode brincar quando eu estou.


Estes pequenos cuidados ajudam a tornar a nossa casa muito mais agradável para o nosso amigo patudo e poupam-nos muitas dores de cabeça! Eu confesso que alem do que vos disse tenho mias do que uma cama, gosto que o meu Paco possa dormir perto de mim mas no seu próprio sitio. Tenho uma cama no quarto e uma na sala, as divisões onde passo mais tempo!

Como escolher mobiliário para um quarto pequeno

Já sabem que adoro o meu quarto actual: tem o tamanho ideal, está bem organizado e, principalmente, ao meu gosto. Sou eu, é o meu reflexo. Mas…já tive um quarto que era mesmo pequenino. Daqueles em que entras e tens de ter cuidado para não bater no tecto (sim, eram águas-furtadas), dás um passo para a direita para abrir o móvel que está à esquerda, etc… O que hoje em dia percebo quando penso nele é que afinal ele nem era assim tão pequeno – só estava desorganizado e desproporcional. O meu quarto “mal ajeitado” tinha móveis demasiado grandes, a cama no sítio errado e o chão de uma cor demasiado escura. Já não posso voltar atrás e torná-lo melhor, mas posso ajudar-vos a tornarem o vosso quarto muito mais respirável, onde possam quase dançar. Bom, talvez não, não há milagres, mas há truques muito bons 😉

1 . Pintem as paredes de cores claras. Brancos e beges são bem aceites. Um chão de madeira clarinha também é uma boa opção.

 

2. Coloquem espelhos grandes em uma das paredes, para dar a ilusão de que o quarto é maior. (Mas cuidado para não os colocarem em frente à cama, consultem este site para saberem os melhores sítios.)

 

3. Lembrem-se de aproveitar o espaço debaixo da cama para arrumações.

 

4. Se precisa de mobilar o quarto dos seus filhos e tem pouco espaço, opte por beliches.

 

5. Se beliche não é uma opção, que tal apostar numa cama retráctil de parede? Procure por “Murphy Bed” ou “Wall Bed”. Fotografia – http://www.genesisdecor.pt/wp-content/uploads/2015/04/cama-escritorio-1c-1024×683.jpg

6. Use as paredes! Para arrumações, digo. Coloque várias prateleiras numa delas, por exemplo. Assim, evita ter de comprar móveis que ocupem muito espaço e os seus livros, acessórios e até lenços podem servir de decoração. Fotografia – http://roomideasstuff.tumblr.com/post/135603120747/expensivetastexox-girl

7. Poupe espaço com as “nesting tables”, que se colocam umas dentro das outras, para que só tenha à disposição aquilo que precisa e quando precisa. Fotografia –  http://www.houzz.com/photos/2407437/Gray-Melrose-Nesting-Tables-traditional-side-tables-and-end-tables

 

8. Posicione uma mesa ao lado da cama. Junte-lhe uma cadeira e voilá: acaba de criar um dois-em-um: uma secretária que serve para trabalho e como mesa-de-cabeceira.

 

9. Extra estilo! Misture diferentes estilos de mobiliário, desde que todos tenham algo em comum, por exemplo, a cor. Se todos forem brancos, misture um mais vintage, outro moderno e um metálico, por exemplo.

 

10. Utilize elementos decorativos com padrões – almofadas, um candeeiro original, um tapete… – para contrastar com as cores claras de todo o ambiente.

 

 

Espero sinceramente que estas dicas vos ajudem. Sei como é viver num quarto pequeno que não está adaptado a nós e é uma grande seca.


Boa sorte ☺

Os 5 maiores erros na decoração de uma cozinha

Eu gosto imenso de arregaçar as mangas e decorar as divisões da minha casa, mas tenho a perfeita noção de que já cometi imensos erros de principiante, muitos deles bastante custosos. Uma das divisões que decidi decorar sem ser bastante ponderada foi a cozinha. Fiz várias asneiras, confesso. Cheguei a pintar as paredes da cozinha de amarelo canário e com uma tinta péssima! É claro que tive que andar a comer fora durante alguns dias, para que os profissionais que contratei emendassem tudo!

Por isso, e para vos mostrar que decorar uma cozinha não é assim tão simples, vou elaborar aqui uma pequena lista com os 5 maiores erros de decoração que são cometidos neste espaço.

 

Pintar com as cores erradas

Na maioria das vezes, mudar a decoração implica dar uma nova cor às paredes. Nada contra, pois acho uma óptima ideia! Mas é na escolha das cores que as pessoas cometem os maiores erros. Para a cozinha, os tons devem ser leves, suaves, agradáveis. Passamos aqui muito tempo, por isso, convém que as paredes não nos aborreçam visualmente. Nunca arrisquem em tons escuros, pesados ou muito vivos.   

 

Cores, cores, cores

Ter uma panóplia de cores na decoração da cozinha é uma má opção, excepto se souberem juntar os tons. Por exemplo, misturem as cores mais quentes com as mais frias. Podem ter panos de cozinha azulados e uma decoração nos frascos em tons mais avermelhados. Tentem encontrar sempre um equilíbrio e uma harmonia.

 

Nem tudo o que é grande é a melhor escolha!

Eu compreendo que queiram ter armários bem grandes para conseguirem guardar todos os vossos tachos e panelas. Mas têm que ter bem a noção do tamanho da vossa cozinha. Aqui, a ideia é conseguirem criar um espaço onde tudo seja proporcional, de modo a ficarem com uma cozinha prática, funcional e esteticamente bonita.

 

Falta de organização

A organização dos electrodomésticos também é muito importante. Não convém ter de um lado o frigorífico, a máquina de lavar loiça, o microondas e a máquina do café se, do outro lado, têm apenas a lata do pão! Saibam distribuir os electrodomésticos, os armários e tudo o que quiserem incluir neste espaço. Sejam coerentes, até porque só vos beneficia em termos de funcionalidade.     

 

Confiança a mais

Ser-se confiante é bom, mas ser-se demasiado confiante para algo que não se sabe fazer é tolice e dá mau resultado. Se o vosso conhecimento sobre decoração é pouco (ou quase nenhum), não faz mal! Há quem tenha estudado e esteja mais habilitado para fazer este trabalho por vocês! Se não sabem como decorar a vossa cozinha, contratem quem saiba, para que, no final, não tenham surpresas desagradáveis!
Interiorizem estes erros, se realmente andam a pensar em decorar a vossa cozinha. E não, não escrevi isto para vos desanimar, muito pelo contrário, apenas desejo que tudo corra bastante bem e que, no final do trabalho, não se arrependam das escolhas que tomaram. Eu já aprendi com os meus erros, agora espero que não tenham que passar por eles para aprenderem também!

Remodelação de casa take 3: dicas para remodelar a casa de banho

Tenho boas notícias: a minha remodelação de casa vai de vento em popa! Pouco a pouco este apartamento está, efetivamente, a tornar-se o MEU canto, o meu refúgio, com tudo ao meu gosto.

Depois do quarto e da cozinha, a minha última obra foi a casa de banho… e digo-vos: está linda! Estou rodeada de pessoas fantásticas, que entendem exatamente o que pretendo e parecem conhecer-me há anos, pois acertam em todos os detalhes, surpreendendo-me com ideias que jamais me passariam pela cabeça, apesar de eu me afundar em pesquisas de inspiração na Internet.

Claro que gostaria de “trabalhar” com maior rapidez, mas convenhamos: obras de remodelação em Lisboa não são propriamente baratas! De qualquer forma, também julgo que tenho conseguido uma boa relação preço-qualidade, por isso não me posso queixar.

Enfim, estou feliz com a minha remodelação de casa. E tenho aprendido muito. Muito mesmo. Tanto que quem quiser fazer obras de remodelação em Lisboa pode vir ter comigo!

Fora de brincadeiras, as dicas que tenho encontrado têm sido muito úteis para ter um bom ponto de partida. E por isso, decidi partilhar convosco algumas delas, neste caso especificamente relacionadas com a casa de banho.

Ponto 1: a casa de banho é um dos espaços mais difíceis de trabalhar numa remodelação de casa, havendo opções muito caras. Por isso, informem-se, planeiem e… não desesperem! Se o fizerem “como deve ser” serão recompensados por anos de conforto e prazer. Já se optarem por trabalhos amadores, podem estar a entrar no maior pesadelo da vossa vida.

Ponto 2: a continuação do ponto 1, isto é, a necessidade de recorrer aos melhores profissionais. No meu caso, pesquisei bastante para encontrar as melhores ofertas para obras de remodelação em Lisboa. E devo dizer que compensou!

Ponto 3: Para tornar o orçamento mais leve, há coisas que podem fazer. Por exemplo, arrancar móveis ou terminar a pintura. Eu não arrisquei, mas também porque não tenho jeito nenhum para obras e remodelação de casa.

Ponto 4: Não poupem em materiais. Tudo bem: não precisam de torneiras de ouro. Mas há que ter atenção que o mais barato pode não durar tanto e, quando dão por isso, já precisam de substituir imensa coisa. Poupem na iluminação, por exemplo, e em loiças menos luxuosas.

Ponto 5: Qualquer que seja o orçamento previsto ou o projeto das vossas obras de remodelação em Lisboa ou em qualquer outro local do país, devem começar por corrigir azulejos rachados ou substituir peças mais antigas. Se decidirem pintar, vejam primeiro se as paredes estão livres de bolor e humidade.  

Ponto 6: definam diferentes áreas e tentem criar zonas para cada uma delas. Eu aqui tive uma ajuda preciosa dos fornecedores de obras de remodelação em Lisboa que consegui contratar. Por isso, hoje tenho uma zona de banho e outra para me arranjar. E nem sequer é preciso muito espaço para o conseguir, basta por exemplo usar um armário.

Ponto 7: A minha casa de banho estava realmente muito antiquada, por isso decidi reformular tudo. Afinal, estou a 100% nesta minha remodelação de casa. No entanto, para quem não quiser gastar muito dinheiro, pode manter alguns itens e apostar em detalhes e acessórios, que muitas vezes acabam por definir o próprio design. Reciclar peças, acrescentar umas prateleiras, colocar novos puxadores, etc. Com pequenos truques vão acabar por ter uma casa de banho nova em pouco tempo!

Enfim, eu poderia continuar, mas penso que com a revisão destes pontos já ficam alertados para temas essenciais na remodelação de casa, em particular da casa de banho. E boa sorte!